7 de agosto de 2014

#batomemexcesso

Te falar que estou satisfeita, menina? Pois é. Ultimamente tem acontecido de amiga minha me marcar em foto quando ela usa um batom fora da sua zona de conforto. VITÓRIA! É TETRAAAAAAA! Minha relação com a maquiagem teve inúmeras fases. Quando eu era criança, eu morria pra usar os batons da minha mãe. Quando ia passear com a minha família no shopping, eu passava o vermelhão. Uma vez que cismei que queria ir na escola com batom vermelho, minha mãe deixou e eu voltei com um bilhete na agenda das "tias" falando do meu batom. Acho que a minha mãe nem me lembra dessa história, mas me lembro bem. Eu tinha, sei lá, uns 5 anos? 
Depois dessa fase da infância e crescimento, chegou as dores e os amores de ser uma adolescente fora do padrão. Bullying, baixa auto-estima e CHATICE CONSTANTE DE SER ADOLESCENTE. Achava que batom vermelho nos meus lábios não ficavam bom e só usava make no olho. O lábis preto tornou-se meu melhor amigo. 

Lápis preto: amor da adolescencia 

Já na faculdade, comecei a descer a Rua Augusta e cair na noite. Nunca liguei para a minha aparência, mas eu fazia vários rolês com meu padrinho Sirius Black (eita, May!) que sempre saia sempre bem arrumada, make impecável. Sombra rosa, sombra amarela, delineado grosso, delineado fino. Dai, comecei a comprar mil coisas na revistinha da Avon, mas acabava não usando nada... Minha mãe clamava para eu voltar a usar o batom vermelho, mas eu não conseguia. Achava que ia ficar parecendo uma vagabunda e só usava batom da cor marrom.
Gente, vamo falar a verdade? Quem aqui tem dificuldade com esmalte vermelho e batom vermelho porque "DIZ QUE É COISA DE PUTA"? Eu lembro na época que blogava no Mão Feita, o que tinha de gente com preconceito com o esmalte vermelho, que era coisa de vagabunda. Vermelho, uma cor tão bonita e chamativa. Põe mais uma na conta do patriarcado, mas né, tô aqui pra falar de dos batom. Deixa esse assunto pra mais tarde... 

ALÁ O BATOM MARROM! E essa cara de emo? Perdoa eu, vai. 

Tive uma fase bem ruim aí do #ComboMorte (desemprego, falecimento do meu pai e câncer da minha mãe) dai teve um dia que estava arrumando minha bolsa e encontrei um batom que amava da Avon e pensei "há quanto tempo não uso isso?". Então, voltei a usar meus batons lindinhos da Avon. E sempre tive vontade de usar um vermelhão, mas né, achava que não ia ficar bom. Seguia no rosa, no marrom e no vinho. Até que um dia eu fui trabalhar e um amigo meu perguntou "nossa, esse seu batom não está em excesso?" e eu fiquei de cara. GENTE, COMO ASSIM? Foi então que nasceu a hashtag #batomemexcesso no Instagram. Algumas meninas comentavam comigo "Camie, não tá em excesso" e dai explicava o porquê da hashtag. É tipo um grito de liberdade! Meu, você se sente bem usando um batom verde, uma cor azul ou um nude? ENTÃO USA. Tá com vontade de usar um vermelho? SE JOGA

Na formatura de uns amigos meus: só fiz um olho e rímel. 2009 isso aí, eu acho haha #dory


Blush + sombra preta. 

Durante anos fiquei achando que não era digna de usar um vermelhão, que era muito beiçuda ou que ficaria over demais. Tudo é uma questão de se achar bonita, mas, assim, bonita de verdade. Minha relação com a maquiagem é bem imediata, sempre foi. Não tenho paciência de sentar e fazer uma pele, corretivo, passar pó, dai passa isso e aquilo. Geralmente dou uma caprichada maior quando vou sair a noite, de fazer a pele tim tim por tim tim. Acho uma maravilha essa invenção de bb cream, porque uso quando aparece alguma espinhazinha ou estou com umas olheiras. Eu gosto mesmo do batom e do lápis. Na adolescência não usava rímel porque uma vez usei e uma amiga disse que eu parecia a Emília do Sítio do Pica Pau Amarelo hahahaa. Pra mim o negócio tem que ser rápido. Saio do banho, me visto, passo um lápis e um batom e pronto. Essa sou eu. Mas tem mulher que só sai de casa de maquiagem completa, tem outras que não deixam o namorado vê-las sem uma base no rosto (o que eu acho um absurdo). Cada uma é cada uma e aos poucos a gente vai se libertando e, principalmente, se encontrando. E até quando a gente vai ficar carregando trauma de namorado que não gostava de cor X, de amiga que falou que você era Emília, da revista Nova que disse que não pode usar sombra verde? CHEEEEEEEEEEEEEEGA.

 Cereja Intenso, da Avon. Essa foi a cor do #batomemexcesso


Esse dia eu fiz a pele porque era aniversário da Marcela e quis sair bem nas fotos HAHAHAH 


Dangerous, da MAC. PODE LARANJA SIMMMMMMMMM

Russian Red, da MAC. Meu vermelho favorito e poderoso. 
Quero fazer amor e engravidar desse batom hahahaha

Gostaria de agradecer as minhas musas do batom vermelho: Milena, Cinthya RachelBia, YOU ROCK MY WORLD! Beijo pro Padrinho, porque né, sempre presente e que me ensinou que pó é pra tirar o brilho da cara, que não é frescura não. Hahahaha. Só sei que fico muito feliz quando as amigas usam a hashtag #batomemexcesso no Instagram, a NOSSA HASHTAG. Bora espalhar o #batomemexcesso por aí e elevar a nossa auto estima, porque somos tudo diva e um batonzinho nunca é demais.


10 comentários:

crisalbu disse...

Sensacional!! Além das fases da moda, que sempre influenciam as nossas escolhas (e os comentários e aceitação alheia), as fases da vida (e os combos - amei a definição) também influenciam...passei por muitas fases "batonísticas" também, comprei meu primeiro Diva da Mac em 2002 e usava muitooo, depois não conseguia mais...agora uso normalmente...me sentia EMO quando comprei o Cyber, da Mac, agora uso dia sim e no outro também...

Lec disse...

Eu só consegui usar batom colorido depois de um amigo me fazer passar e não me deixar olhar no espelho o dia todo... aí fui começando a enxergar como era lindo e nunca mais parei...

Quando cheguei na firma, todo mundo me perguntava como eu conseguia usar batom vermelho logo cedo. Pq era 9 da manhã, não era HORA de usar essa cor...
Eu ainda tento incentivar as meninas, mas olha, é difícil...

Vou começar a usar a hashtag :D

Regiane disse...

Amei o #batomemexcesso....

Eu nunquinha na vida que tinha usado batom sem ser marron, bege, rosa. Tudo beeeemmmmm claro.
Mas ai um dia ganhei um batom mais vermelho, e não é que gostei...

Não é sempre que eu uso. E as vezes disfarço com um gloss claro por cima, mas agora vira e mexe, ele aparece.

Beijocas

Fabiola Paschoal disse...

LEVAREI PRA VIDA a hashtag, sempre via vc postar e não entendia de onde surgiu, adorei a história e também sou super chegada num #batomemexcesso hahaha. Pra mim o negócio é roxo, vermelho, rosa cheguei, nude não é comigo =p

Gabi disse...

ameeeiiiiiiiiiiiiiiii
to junto!!!
amo batom. Voltei a usar com todas as forças!!! Adoro! Quanto mais forte, melhor hehehehe
beijo sua linda!!!

Narciza Adelina Rocha disse...

É Camila quando você era criança adorava um batom, e depois cresceu e ai desistiu por completo de usar, eu
pegava no pé, quando vi ela maquiada para a formatura, perguntei cadê a maquiagem faltava batom, fico feliz de ver minha filha liberta de preconceitos, vamos usar aquilo que a gente gosta e se sente bem, te amo Camila.

Sassá-SabrinaCoca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sassá-SabrinaCoca disse...

Chegaram 6 batons matte da Impala hoje e vc faz parte disso. Obrigada!!!
#batomemexcesso
<3

Bia Lombardi disse...

Ainnnn, que post mais maravilhosoooo! Nem lembro a última vez que passei um batom cor de boca, hahaha. Mesmo quando faço um olhão super marcado, lasco um batom vinho ou vermelho. Vicio TOTAL. Olho tudo, boca tudo é meu lema <3
Vc fica linda de batonzão! Tem que usar e abusar mesmo :)

Fanny disse...

Eu tive essa fase de nada de batom vermelho ou cor mais forte por conta de baixo-estima ou da sociedade dizendo que tava errado. Hoje me JOGO uso batom vermelho pra ir na padaria e roxo pra ir onde eu quiser. Qualquer dia que posto uma foto com a hashtag
Adorei o post!

http://quasemineira.com.br/