2 de maio de 2014

E agora, um poema

Acho que sou feliz. 
Eu quero tudo o que tenho
Só desejo o que posso 
E sou da minha idade.
Será isso a tal felicidade?

Climério Ferreira