25 de abril de 2014

Os sambas da minha vida

Mais uma blogagem coletiva do mês de Abril do Rotaroots. Sempre acho que elaborar esse tipo de lista é difícil, mas foi fácil e quase indolor. Deixei algumas coisas de fora e coloquei os pontos chaves na lista. E o título do post é samba porque eu curto uns trocadilhos idiotas hahaha (samba, crioula, crioula, samba...).
Nessa lista dos cds tem tudo, menos samba. #criolafajuta 

Mamonas Assassinas (1996)



Como não citar os Mamonas? Eu lembro que eles estavam estourados em todo Brasil, tocando nas rádios e eu (e o Guigo) não tínhamos o k7 ainda porque NÃO ACHAVA PRA COMPRAR. Lembro direitinho do dia em que meu pai conseguiu comprar. Era um sábado, minha mãe estava assando um frango para o almoço e meu pai colocou a gente no carro, foi lá pro centrão de São Paulo e fomos de loja em loja e conseguimos comprar a fita. Nossa, que felicidadeeeeeeeee! Eu e o Guigo escutamos tanto os Mamonas que a gente decorou as músicas na ordem da fita. Acho que todo mundo na época, né?

Middle of Nowhere (1997)
Hanson 



Conheci os Hanson (amores supremos dessa minha vida) na MTV e ganhei o Middle of Nowhere de Natal em '97. MELHOR NATAL EVER! Eu lembro que peguei meu mini dicionário de inglês e traduzi para o português todas as músicas do cd em um caderno. Nada fazia muito sentido (eu tinha 11 anos!), mas eu queria entender e absorver tudo. Eu AINDA escuto esse álbum, que tem letras bem maduras, viu. Pega a letra de Weird e tipo, quem nunca? Já sofri muito na altura dos meus 12 anos escutando Weird. No show deles ano passado eu me emocionei forte quando tocaram "A minute without you" porque lembrei dessa época gostosa da infância, no meio dos posteres e dos dicionários de inglês escutando Middle of Nowhere.


Neon Ballroom (1999)
Silverchair



Primeiro cd que comprei com meu dinheiro! WOW! QUE MENINA CRESCIDA! "Meu dinheiro" hahaaha eu tinha uns 13 anos na época e juntei todas as moedas da casa durante algum tempo, depois ganhei 5 reais da minha madrinha. Foi um sofrimento, porque eu sempre fui péssima em guardar dinheiro, mas quando consegui ir até a extinta livraria Siciliano e comprar esse cd, foi a glória. E esse álbum é MUITO FODA. Além das faixas que todo mundo conhece (AND I MISS YOUUU LOVEEEEEE, alô trilha sonora da Malhação), tem Emotion Sickness que é um GOZO pqp socorrowww música foda, Spaw Again que quebra tudo, Paint Pastel Princess que amo demais, Steam Will Rise que também é ótima. Neon Ballroom é um álbum completíssimo na minha humilde opinião e eu também fiz aquela tradução ao pé da letra no meu caderno. Hanson & Silverchair on the same page hahaha. Queria saber muito onde foi parar aquele caderno com as minhas traduções ao pé da letra sem fazer muito nexo (mas foi assim que aprendi inglês).


Parachutes (2000) e A Rush of Blood to the Head (2002)
Coldplay



LÓGICO! Amo todos os cds do Coldplay, mas os dois primeiros são OBRAS PRIMAS. Tinha que imprimir a capa e por lá no Louvre. SÉRIO. Baixa e escuta. As letras, os arranjos, tudo, tudo, tudo. Tudo é perfeito. Minhas favoritas são Shiver (cêjura), Everyhting's not lost, Amsterdam (AMO DEMAIS), God put a smile upon your face e The Scientist. Eu escutava muito esses álbuns na época do colegial e as músicas me ajudaram demais mesmo.


Three Cheers for Sweet Revenge (2004) e The Black Parade (2006)
My Chemical Romance


Euzinha em 2005 indo pra faculdade lá na Zona Leste, espremida no vagão do trem escutando I'M NOT OKAY I'M NOT FUCKING O-KAY ahahahaha. Eu escutei tanto, mais tanto, mais tanto que só ano passado os Hanson conseguiram ultrapassar My Chemical Romance na lista de banda mais escutada no ranking do meu last.fm. Ainda sim, Three Cheers for Sweet Revenge e The Black Parade são os álbuns que mais escutei (segundo o last.fm) desde 2006. Marcou demais, gente, demais. Aquelas letras desesperadas do Gerard. I'm just a man, I'm not a hero. JUST A BOY WHO HAD TO SING THIS SONG. Mi abraça forte ahahahha. Podem falar o que quiser, mas esse álbum conceitual em cima do personagem "O paciente" é foda demais, tem até Lisa Minelli.

Undiscovered (2006)
James Morrisson


Sabe um álbum que você escuta e te acalma, te faz lembrar que ainda tem coisas bonitas na vida? Esse cd de estréia do James Morrison é simplesmente maravilhoso. Eu escutava lá no estágio no Ibis Paulista. Trilha sonora do meu início na hotelaria e me dava uma serenidade tremenda pra lidar com os hóspedes e com todas aquelas coisas novas. Se para a  faculdade eu ia escutando My Chemical Romance, quando eu estava no estágio, eu acalmava com as músicas do James. É um álbum que me deixa muito feliz mesmo e me emociona (e tenho que evitar escutar na tpm senão eu choro demais) #criolafacts


21 (2011)
Adele



Pra sofrer de amor, pra curar o coração partido, pra cantar no chuveiro, no transporte público, andar pela rua e achar que está num longa metragem no momento tenso e chuvoso de uma comédia romântica., essa sou eu. Descobri a Adele por causa do MARAVILHO LAST.FM (pq vcs pararam de usar? as recomendações são ótimas) em 2008 (post do meu fotolog como prova) e já fiquei balançada com 19. Daí, veio o 21 e nossa... foi aquele boom. É um álbum com músicas tristes, mas tem muita coisa boa pra se tirar. "Next time I'll be braver, I'll be my own savior" qué dizê, a gente aprende na dor. Lição de vida. Obrigada, Adele.

Tem outros tantos álbuns e eu poderia ficar o dia inteiro aqui falando disso, mas acho que todas essas músicas fizeram (fazem, aliás) parte da trilha sonora de momentos chaves da minha vida.

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

2 comentários:

Júlia disse...

O CD dos Mamonas eu nunca tive, mas eu tinha uma fita copiada de um primo haha. Também decorei na seqüência e cantava quase todo dia com a galera na escola. Lembro que quando eles morreram, todo mundo combinou de ir com uma fita preta no braço pra demonstrar luto. E no dia seguinte, todo mundo realmente foi,.
E o do silverchaaaair, minha primeira banda preferida :~ aquela coisa adoslecente de assinar meu nome com o sobrenomes dos caras? Euzinha, com o Silverchair. Também traduzia as letras deles tudo ao pé da letra haha, ainda tenho os cadernos aqui e dou muita risada quando vejo hahaha.

raquel a. disse...

Nunca vou esquecer que não fui no único show do Mamonas que rolou no meu bairro. Meus pais não deixaram eu ir (eu tinha uns 15 anos - OIIII?) e logo depois eles morreram. Lembro que meus pais ficaram com cara de cooh quando souberam da morte, também fiz questão de deixá-los mal falando "TÁ VENDO, NUNCA MAIS OS VEREI NA VIDA".

Adolescente é foda.