24 de março de 2014

O Chamado do Cuco, Robert Galbraith

Faz tempo que não falo de livro por aqui, néam. Em janeiro li 5 livros, em fevereiro não li nada. Eu sou 8 ou sou 80, não trabalho com meio termo. Ano passado quando todo mundo descobriu que Robert Galbraith era um pseudônimo usado por J.K Rowling a blogosfera literária surtou. Todo mundo comprando “O Chamado do Cuco” e eu que tava cheia de coisa pra ler, tive que colocar minha ansiedade dentro de um potinho e focar nos livros da minha estante.
Acho que esse é meu PRIMEIRO ROMANCE POLICIAL! Vixe! Uma vida todo lendo romance, new adult, young adult e chick lits. Nunca li Sherlock Holmes e nem Agatha Christie, me julguem.
A história começa com esse detetive chamado Cormoran Strike, veterano do Afeganistão, introspectivo, grandalhão, meio bruto e falido. Ele é contratado pro John Bristow para investigar a morte de sua irmã, uma super modelo chamada Lula Landry. Todos acreditam que Lula cometeu suicídio pulando da sacada de sua casa, por causa do histórico depressivo da modelo. Mas o irmão discorda e acredita que Lula foi assassinada. Esse é o plot.
O livro ficou praticamente morando uns 10 dias dentro da minha bolsa, eu começava a ler e a narrativa não me prendia. O começo é beeeeeeeeeeeeeeeeem arrastaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadoooooooooooooo. Meu Deus do céu! Strike é SUPER meticuloso, então, ele vai investigar tudo, falar com Deus e o mundo que convivia com a Lula, entrevistar a galera, refazer os passos e tudo mais. E, tem uma hora, que ele já falou com tanta gente, já fez tantas perguntas que eu fiquei confusa com tanto personagem. Tava com impressão que estava deixando passar pistas do suposto “suicídio”.
Valeu a pena insistir na meticulosidade do Strike, viu. Lá pro meio do livro a gente começa a entender as peças deste quebra-cabeça e já vai agarrando um amor nesse detetive e na secretária dele, chamada Robin. ALIÁS, a Robin pra mim foi uma surpresa. Sabe quando você não entende muito bem a função da personagem ali no meio de tudo aquilo? No começo foi tipo isso. Os dois formam uma dupla inesperada. O livro tem um bom humor, sabe? Tipo, o personagem do Cormoran é super discreto com a vida pessoal, bem introspectivo mesmo, mas a família dele é bizarra. A mãe dele foi uma groupie famosa e o pai é um astro do rock dos anos 70 (se não estou enganada) haahaha loucura. Tem uma passagem do Cormoran bêbado que é bem engraçada. 
Quando fui chegando ao final da leitura, eu até perdi o ponto do ônibus hahaha. E o foda é que o Strike vai juntando as peças e chegando perto de uma conclusão e eu estava MEU DEUS DO CÉU, QUE AGONIA, DIVIDE LOGO COMIGO O QUE VOCÊ DESCOBRIU. O desfecho é bem legal e o título do livro faz TODO o sentindo. Recomendo. E ó, quem baixar o livro pra download formado pra Kindle, clica aqui. De nada! Não tem desculpa pra não ler :)  

Nenhum comentário: