2 de dezembro de 2013

Anna e o Beijo Francês, Stephanie Perkins

Faz um tempão que não falo de livros por aqui, né? Esse ano li os quatro primeiros livros d’As Crônicas de Gelo e Fogo, do George R.R Martin e um monte de soft porn que olhaaaaaaaaaaa, #puxado.  Depois que li “O Festim dos Corvos” do George R.R Martin em setembro, peguei um livro bem leve pra ler, no caso, “Anna e o Beijo Francês” da Stephanie Perkins. Eu ainda estava com o ritmo d’O Festim na cabeça, todo aquele universo denso, tramóias, gente morrendo, guerras mil! Daí comecei a história da Anna e quis cortar os pulsos porque estava achando tudo raso e adolescente demais. Fiquei em uma ressaca literária durante dois meses, assim, sem conseguir ler nenhum tipo de livro. Peguei o livro agora em novembro e no começo tava achando tudo tão nhénhé, mas quando eu menos esperava, eu comecei a aproveitar a leitura.
Anna é uma gata garota de 17 anos que mora em Atlanta, Georgia. Seus pais são separados, mas tentam manter uma relação meio amigável. O pai da Anna é um escritor de romances do tipo Nicholas Sparks (a autora um sarro desses livros românticos com uma fórmula pré-fabricada) e decide mandar a filha cursar o último ano do ensino médio em Paris. Anna quer ficar, porque ela tá meio de rolo com um carinha, mas ela não tem escolha e #partiu #cidadeluz.
Chegando em Paris ela vai estudar em uma escola para americanos na França. Aos poucos Anna vai se enturmando, se adaptando com a comida e o idioma. Tem também o St. Clair, o cara que dá uma balançada no coração da Anna, porém ele tem namorada. ALGUM CONFLITO TEM QUE TER NESSE LIVRO hahaha. Os personagens secundários são bem legais também. Achei um grupo de amigos bem conciso, nada muito exagerado e entediante.
É tudo bem adolescente, mas é uma coisa adolescente legal, que faz aquela confusão pra resolver os mínimos dos problemas. Por mais que seja um livro leve e descontraído, acho que a dose de drama e humor foi na medida certa. Algumas coisas demoram pra acontecer, tipo, O_BEIJO, mas, foi tudo colocado de uma forma bonitinha que você aceita bem os acontecimentos finais. Eu, que tenho os ideais românticos meio Disney,virei um jigglypuff no final do livro hahaha. Recomendo pra quem gosta de ler uma bobeira fofa de vez em quando, pra dar de Natal para aquela sua prima de 14 anos.



Só uma observação, achei a diagramação e a revisão do livro em português poderia ser bem melhor. Não sei o que aconteceu com a editora Novo Conceito, mas achei que eles pisaram na bola, viu. Espero que eles arrumem isso nas novas edições.

Separei duas citações porque não pude me conter de tanta fofura. 

- Eu comprei poemas de amor pra você! “Eu a amo como certas coisas obscuras são amadas, secretamente, entre a sombra e a alma”.
_______


A palavra casa não é um lugar. É uma pessoa. E nós, finalmente, estamos em casa. 


Um comentário:

Daniela Nunes disse...

Ai Camies, AMO seu posts! Tava meio em dúvida se lia esse livro, mas sua resenha me animou bastante. Volta a ler As Crônicas de Gelo e Fogo, tô lendo A Dança dos Dragões e chocada com os baphos hahaha, como sempre. Beijo! :)