1 de fevereiro de 2013

A Guerra dos Tronos, George R. R. Martin.

Que saudade eu estava daqui! Estive sumida durante o mês de Janeiro porque estava viajando pelas terras de Westeros. Ano passado eu comprei o exemplar de "A Guerra de Tronos" logo quando comecei a trabalhar. Ele ficou parado na minha estante por quase um ano. Tava envolvida em outras leituras e ver aquele livro grosso, parado e embalado do jeito que comprei nas Americanas tava me dando uma gastura. 
No começo estava meio intimidada, são mais de 500 páginas, as letras são bem pequenas e as páginas enormes, ou seja, o livro aparentava ter sustância. Dei uma enrolada e no final do ano pensei: 2013 vou ler esse livro. E esta foi a primeira leitura do ano. Gente, que livro! Que história! Estou APAIXONADA. ♥ Tava até aqui pensando em como começar a contar esta história pra vocês, não consigo resumir, muita trama, muitos personagens. O começo achei que ia me confundir com tantos nomes, mas passado o "susto" das primeiras páginas, a leitura vai que vai pegando fogo. 
Vamos começar então a contar essa história do meu jeitinho. Existe esse continente que é formado por 7 reinos, governado por 7 casas principais e tem o rei que comanda este bonde todo, que senta naquele famoso trono de ferro que todo mundo já deve ter visto por ai. Quando começa a história, quem tá mandando nesta bagaça toda é o Robert Baratheon.  Pra ajudar a governar tudo isso, o rei precisa de uma pessoa de confiança, alguém que faz toda a parte chata que um rei deve fazer haha. Eles chamam esse cargo de Mão do Rei. Só que a Mão do Rei, Jon Arryn morreu e Robert vai até Winterfell chamar seu truta-parceiro-bff Eddard Stark para ser a nova Mão. Este é o pontapé inicial para o começo da história.

Robert e Eddard (Ned) 
"Que lhe parece, Ned? Só você e eu, dois cavaleiros vagabundos na estrada do rei, com as espadas ao nosso lado e só os deuses sabem o que a nossa frente, e talvez uma filha de lavrador ou uma rapariga de taberna para nos aquecer a cama esta noite".

A trama é narrada por vários pontos de vista o que torna tudo muito dinâmico e interessante. É como se fosse uma grande colcha de retalhos muito bem amarrada. Logo quando comecei a ler eu ODIAVA os Lannister (uma das 7 casas ~poderosas~) e queria que todos eles explodissem. Ao longo da leitura minha opinião mudou radicalmente, de ódio passou a admiração. O escritor humanizou demais os personagens, todo mundo bebe, todo mundo samba, todo mundo trepa, mata, tem raiva! Com isso, deixa de ter aquela coisa maniqueísta de Bem vs. Mal, até porque, a gente sabe que na vida real as coisas não delimitar assim, todo mundo tem o bem e o mal dentro de si. E fica mais fácil torcer pelo mocinho e odiar o vilão. Em Guerra de Tronos não tem nada disso. Tudo bem que gostei demais do honrado e nobre Eddard Stark, mas como não amar o anão, Tyrion Lannister, que poderia ser visto por outros como um cara ~do mal~~ mas ele é gente fina pacas hahaha. Poxa, queria tomar uma cerveja com ele naqueles butecos do baixo Augusta. Dá pra se afeiçoar pelos personagens muito fácil, detesto certas atitudes que a Sansa (filha do Eddard Stark) tomou mas você consegue compreender porque a personagem faz as coisas que faz, rola empatia, pelo menos comigo foi assim.
Aliás, as personagens femininas são ótimas. Todas de muita personalidade e fibra. Eu tenho dificuldade pra gostar de personagens feminina, mas amei todas as mulheres de Martin. Tem a Catelyn Stark, casada com o Ned (apelido de Eddard), mãe de cinco filhos! Parece que Catelyn está em todos os lugares quando trata-se de cuidar da sua família, parece um polvo com oito braços no sentido de tentar ajudar/apoiar/remediar as coisas que não acontecendo ao longo da história com a sua família. E tem que ter mesmo, porque são cinco filhos e o marido e os problemas da família Stark enfrenta neste livro são tensos. Sem contar o pai, irmão e segue  lista de pessoas que Catelyn tenta zelar a sua maneira. Ela tem uma tomada de decisão, dá uns conselhos legais para o Robb Stark (seu primogênito) e não deixa de ser mãe. Vê o filho indo pra guerra se faz de forte mas por dentro tá MORRENDO.
Tem a Cersei Lannister, casada com o rei Robert. Ela é muito esperta do tipo PERIGO PERIGO e não mede as consequências pra defender seus interseres e os interesses dos filhos, doa a quem doer. Se matar ela mata, entendeu? Tá muito mais ligada no jogo dos tronos do que a Catelyn, AO MEU VER. Pelo menos neste livro. Cersei é dona de um dos meus quotes favoritos:

"Quando se joga o jogo dos tronos, ganha-se ou morre. Não existe meio termo"

#congela #oioioi #vixe



Também queria falar da Daenerys Targaryen (ai os nomes são bem estranhos, mas depois vc se acostuma) que é a princesa descendentes de dragão. É! ACHEI BIZARRO, mas é foda o negócio. A família dela Targaryen que governava os sete reinos e esta família dela tinha o costume de casar irmão com irmã, primo com irmã e assim por diante, pra manter o sangue puro. Só que isso a gente sabe que isso dá problema genético, dai teve um rei Aerys (ai, era o Aerys? MUITOS NOMES, MAS O QUE IMPORTA É O CONTEXTO HAHA) que era bem louco e sanguinário e acabou sendo morto pelo Robert e seu bando (nem vou entrar em detalhes, porque vcs precisam ler) e tomou o trono. E essa querida Dany, que atualmente tem 14 anos (se não estou enganada) teve que fugir com seu irmão pra PQP porque senão eles iriam morrer. Dany era criança na época e fica na outra parte do continente, o irmão dela, Viserys, quer retomar o trono de qualquer jeito, só que ele não tem grana e nem um exército. Viserys acaba vendendo esta irmã para o que eles chamam de "selvagens" (e de fato são mesmo em alguns aspectos) para o rei dos senhores do cavalo. E essa menina é fantástica. Primeiro achava que Dany era doida, porque ela ficava repetindo toda hora "Sou sangue do dragão" mas olha, tem que ser mesmo, devido as situações que ela vivencia. Amei forte as passagens que foram contadas no ponto de vista dela. Dany ganhou meu coração mesmo. É de uma feminilidade mas sem ser do tipo donzela frágil, ela desabrocha durante as páginas, é bonito de vê-la tomando as rédeas do seu destino. Só quero ver o que ela vai aprontar no próximo livro. :))))))))))))))
Nossa, essa resenha ficou enorme, mas eu não contei nem 1/3 do livro. A narrativa do Martin é VICIANTE. Isso explica as pessoas com os livros enormes se equilibrando no metrô e no ônibus, porque quando você começa a ler não quer parar mais. As descrições, a forma de como ele termina cada capítulo, sempre com uma surpresa, com suspense. O cara sabe o que faz! Sem contar que tem passagens que te fazem refletir sobre as coisas da vida. As falas de Tyrion Lannister, são foda e fazem todo um sentido universal hahaha. Os últimos capítulos do ponto de vista do Eddard, aquele conflito entre fazer o que é certo e fazer o que lhe faria bem. É ANGUSTIANTE o final. Eu chorei no ônibus lendo hahaaha. Voltei e reli pra saber se tava lendo certo!

#chatiada

Já vi uns episódios do seriado, eles deixaram algumas coisas de fora, tá bem fiel (principalmente as características físicas dos personagens), mas nada se compara ao livro. Ele é muito rico mesmo. A narrativa é foda demais. Quem só assistiu os seriados precisa ler o livro, porque vocês estão perdendo detalhes importantes. A história é muito bem contada! Já comprei a continuação e se eu sumir daqui, vocês já sabem!

LEIAM, LEIAM, LEIAM. É MUST READ! 


ME EMPOLGUEI SORRY HAAHHA



4 comentários:

Julia Gama disse...

Amo esse livro de paixão também, comecei o segundo faz pouco tempo e ja estou amando!!

O foda é que o livro realmente te intimida, ainda mais quando vc ve a coleção junta e saber que ainda falta 2 OMG!!

Adorei a resenha, como sempre :)

Lívia Silva Santos disse...

Cami, adorei o livro também. Chorei na série, chorei lendo o livro. E o que mais gosto é disso que todo mundo tem seu lado mal mas faz muita merda também. O próprio Ned tem muita história mal contada. Hum!

Estou lendo o segundo.

bjão
Lívia

C.D.F. disse...

HAHAHAH Achei o post super divertido!
Eu tô louca pra ler esse livro, mas nunca coloco como prioridade comprá-lo e lê-lo. :P

mariana disse...

Adorei a sua resenha!

Parei no finalzinho do 1º livro, mas vou terminá-lo e depois procurar os outros pra baixar no kindle. Bem melhor que carregar esses tijolos pra cima e pra baixo, néam?

A série é maravilhosa, sou viciadíssima!