13 de janeiro de 2013

Cinquenta tons de liberdade, E.L. James

Esse post estava pra sair faz tempo, visto que terminei de ler o livro em novembro do ano passado. Acabei procrastinando e cá estamos nós. Se Cinquenta Tons mais Escuros era pura água com açúcar, Cinquenta Tons de Liberdade é muito mais que isso, poderia ter sido escrito pelo NICHOLAS SPARKS. Pra quem não sabe (o que eu duvido muito), Nicholas Sparks é autor de dezenas de romances beeeeeeeeeeeeeeeeem melosos e quase alguém sempre morre no final dos seus livros. Cinquenta Tons de Liberdade é tipo Sparks, mas sem morte e com sexo. Aliás, nem sexo... eu não me lembro de nenhuma cena de sexo neste livro que tenha sido relevante. 
Estava monitorando a parte de estatísticas que o blogger oferece e muitas (mas muitas mesmo!) pessoas estão chegando aqui fazendo a seguinte pergunta para o Google: cinquenta tons de cinza tem sexo anal? Eis a resposta da pergunta que não quer calar: não que eu tenha visto. HAHAHAAH! Assim, o Christian bem coloca uns brinquedinhos na Anastasia uma vez (que eu me lembre), mas ele mesmo pegar a moça por trás e rolar um sexo anal, não. Então, pra mim, não tem sexo anal de verdade, a não ser que vocês considerem que colocar um plugue anal seja sexo anal... que conversa braba, meu Deus, hahahaa.
Vou soltar uns spoilers agora, moçada: Anastasia se casa com o nosso querido Mr. Grey, passa as férias velejando por aí e no fim do livro, a bendita me arranja um filho e todos vivem felizes para sempre. Final mais sparkiano IMPOSSÍVEL! 



Quando ela fica grávida eu quis MATAR e jogar o livro longe. Porque com casamento, adeus toda aquela premissa que rolou no primeiro livro. Lembram daquele contrato que o Mr. Grey mostra pra Anastasia, com todas as coisas que ele poderiam fazer e tudo mais? Pois é, com a vinda desse filho, todas as minhas esperanças de acontecer pelo menos alguma coisa daquela lista imensa foram por água abaixo. 



O que me divertiu em toda essa série foram os e-mails que os dois trocam, são divertidinhos. A leitura é muito rápida, então, se você conseguiu sobreviver a chatisse da Anastasia no primeiro volume, consegue ler os outros dois sem dificuldades. ~fim dos spoilers~
O livro está fazendo tanto sucesso assim porque muitas mulheres sonham em moldar o homem ao seu gosto, como a Anastasia conseguiu, de tentar mudar traços de personalidade até que se adapte. Faz sucesso porque é um livro de romance, que contem cenas de sexo e que não agride muito aos olhos. Tudo é muito bonitinho, fofinho, arrumadinho. Faz sucesso porque é uma trama simples, de um casal que consegue superar as suas dificuldades, os seus estranhamentos e é feliz no final. Para muita gente este foi o primeiro livro de conteúdo sexual, qualquer que seja a faixa etária. Tá vendendo igual água porque as pessoas estão curiosas e sexo vende desde que o mundo é mundo. 
Querendo ou não, essa onda de Cinquenta Tons, abriu o mercado editorial para romances do tipo aqui no Brasil. Tem muita coisa ruim vindo com essa onda (umas cópias descaradas) e coisa boa também (assim eu espero). Eu que não achava pra comprar em Agosto o livro História de O. em lugar nenhum. Em dezembro a editora lançou novamente e achei na Cultura, simples assim. Questão de 4 meses um livro que não achava nem em sebo, estava em lugar de destaque na Livraria Cultura. 
Minha opinião sobre a trilogia é que achei divertida, sim. Não achei o pior livro do mundo e nem o melhor. Não estou procurando um homem como o Christian e nem acho legal tudo o que ele faz (obsessivo, controlador, mandão, infantil), mas ele sempre tratou a Anastasia com todos os galanteios de príncipe encantado. Acho que isso que deixou a maioria das leitoras fascinadas foram os pequenos detalhes. O cara tira a maquiagem dela antes de dormir! QUÉ DIZÊ. Abre a porta do carro, manda ela comer direito, é muito cuidadoso. Quem não quer um cara que te trate como uma princesa? Pois é. 
Eu recomendo esta série pra quem curte coisas do Nicholas Sparks, porque é um banquete. Ambos tem leitura fácil, é uma distração pra dar risada e comentar com as amigas depois. E antes que as leitoras que curtem Nicholas Sparks venham aqui e briguem comigo, coloquem a mão na consciência  Sparks inventou uma fórmula e a segue em todos os seus livros, é uma água com açúcar danada e abusa do romantismo. 
A trilogia Cinquenta Tons não se trata de sadomasoquismo (como ela foi vendida) é um romance que contém um elemento ou outro de sadomasô. APENAS. Aqui vai as minhas dicas, quer conhecer mesmo sobre o universo sadomasoquista e como funciona a cabeça de uma submissa, leia História de O. porque é um livro fantástico. Leu Cinquenta Tons mas achou muito fraco e esperava umas cenas mais fortes de sexo? Leia Toda Sua.
Enquanto isso, vamos esperar pelo filme...




IMAGINA NA COPAAAAAAAA HAHAHAHA

3 comentários:

A Bárbara disse...

Ah eu achei meio Sabrina ou Júlia(sabe esses romances de banca) um pouco mais elaborado e apimentado.

Lívia. disse...

Eu não consegui terminar 50 Tons de Liberdade. Achei meloso demaaaaaaais ><
Já em compensação Toda Sua... MEO DEUS! rs
Beijos, Camies!

Amanda M. disse...

O jeito que você escreve é apaixonante, suas resenhas são MUITO boas, os gifs e tudo que completa são muito bem colocados... tô adorando. <3 <3 <3