4 de junho de 2012

Amei @mor

Minhas leituras estavam paradas desde Abril. Sem ânimo pra pegar em livro, vida pessoal um inferno, o hotel mega cansativo e larguei mão. O mês de maio nem preciso me alongar. Mas agora eu voltei! Tava querendo ler alguma coisa bem leve e descompromissada. Comprei @mor na Livraria Cultura por R$22,90. É lançamento da Suma de Letras, então, acredito que daqui há alguns meses vai dar pra achar essa belezinha por uns bons R$18.
A história é uma belezinha, não achei que fosse me envolver e apaixonar tanto pelos personagens assim. Quem aqui já recebeu um e-mail, sem querer, endereçado pra outra pessoa? No hotel eu recebo toda hora. Da ultima vez foi uma mulher falando que tinha conseguido arrumar uma faxineira haha. Já recebi também no e-mail pessoal, achando que tava falando com outra CAMILA ROCHA e por aí vai. 
O livro começa exatamente assim, a nossa querida Emmi Rothner manda um e-mail querendo cancelar uma assinatura de revista Like, só que manda pra pessoa errada, e esse e-mail vai parar na caixa de entrada do Leo Leike. ~abre parênteses~ ESTOU APAIXONADÍSSIMA PELO LEO HAHAHA COMO LIDAR??????????? ~fecha parênteses~ E daí começa a coisa toda. O livro todo é escrito em forma de e-mail, a leitura flui que é uma beleza, em um dia você termina de ler. SÉRIO! Eu fiquei fissuradíssima hahaha. 
Não achei que fosse gostar tanto, sabe? 'Garrei um amor forte no Leo Leike, sério, não tem como se NÃO apaixonar por ele haha. A Emmi também é bacana, mas as mulherzices me deixava irritada. 
Foi escrito de uma forma tão plausível, do jeito que a conversa evolui e amizade vai crescendo. E aquela dúvida, será que é amor? O que é isso que está acontecendo entre os dois? Como a gente pode amar uma pessoa que nunca viu, mas que já te conhece TANTO? É muito legal descobrir as coisas junto com os personagens, porque os dois ficam num jogo eterno de morde e assopra, de esconde-esconde, mas não se torna cansativo em momento algum. E quis MORRER quando acabei de ler. SÉRIO, estou subindo pelas paredes. Hoje até reli uns trechos porque estou inconformadaaaaaaaaaaa. Vocês precisam ler pra comentar junto comigo.
E essas coisas de ~amores virtuais~ me lembrou quando comecei a me relacionar com as pessoas na internet. Como eu fiz amigos e sim, é possível fazer amigos. 99% dos meus amigos eu conheci através da internet e os trouxe pra ~vida real~. Lembro uma vez que estava discutindo com um amigo virtual e ele me chamou de MONTE DE LETRINHAS. Nunca fui tão ofendida hahahahaa. Depois ele pediu desculpas, mas mesmo assim, aquilo doeu como se fosse uma faca no coração /le drama. Por trás dessas letrinhas tem uma pessoa, que ri, que chora e que sofre. Nesse mundo virtual, o povo abusa de anonimato e confunde as coisas. Eu mesma tive que fechar os comentários aqui no meu bloguxo (vejam só vocês, com menos de 200 vistas diárias, que é muito pouco, o povo gosta de azucrinar), porque além de me ofender, estavam falando coisas sobre meu pai e minha mãe.Vamos aproveitar a internet pra conhecer pessoas, pra fazer download, ficar 234556 horas jogando Song Pop, pra arranjar um namorado, viajar pelo Google Street View (quem nunca?) e nos divertir. NÉ NÃO? 




Nenhum comentário: