19 de julho de 2010

Finalmente me adaptei a rotina do Hotel California. Como é bom não fazer mais cagada, Deus é pai! Na primeira semana achei que não sobreviveria pelo tamanho da demanda de reservas (345 apartamentos). Tive crise histérica, chorei um dia inteiro de desespero. Na segunda semana, pensei seriamente desistir. Não parece, mas eu sou super caxias com o meu trabalho. Tava acostumada a ter o domínio das coisas, a liderar, ensinar, ter controle do departamento de reservas plus recepção.

Daí, você chega num lugar tem quem 15 tipos de chefias, um monte de coisa nova, uma burocracia imensa, os agentes de viagem querendo o teu sangue, começa a trabalhar na semana que o hotel mais bomba cuja a tarifa é era de R$480 e tinha neguinho chorando sangue por um apartamento. É.



Tava me sentindo um nada, um zero a esquerda hahaha.
Na terceira semana, já estava mais segura de algumas coisas. A respirar fundo, a dar prioridade para as reservas da semana (porque tem gente fazendo reserva pra 2011 e cotação pra copa de 2014, tipo?), A NÃO ME DESESPERAR SOCORRO MELDELS.

Na quarta semana, suave na nave. Eu ainda demoro pra fazer algumas coisas, porque lá não é igual ao Ibis que a reserva ficava pronta em cinco segundos. Tem semana que tem cinco tipos de tarifas (isso me deixa louca, btw) e você tem que arrumar MANUALMENTE diária por diária. Se o apartamento foi triplo, piorou hahahaaha mais de 10 minutos arrumando e deixando no jeito. Daí, você pensa, dez minutos não é nada. Não seria se as reservas online não param um minuto e a tua caixa de emails berando a 98 solicitações de reservas (Y)

Mas agora eu já consigo respirar e não me desesperar! Eu tenho que aprender a lidar com esse tipo de coisa. De achar que não tenho controle, de ficar desesperada (eu diria apavorada e em pânico) e fazer aloca. Agora preciso controlar meus horários e tentar sair 18h, o que vem sendo impossível desde que comecei a trabalhar. Uma coisa de cada vez.

Tava conversando com a Lufa e a Dani no sábado, elas reclamando de hóspede e o caramba. Eu quase não falo/vejo mais os hóspedes. O setor de reservas fica em um prédio e a recepção em um outro. Só de pensar em não escutar berro, carregar mala e ficar ligando em compania aérea pra remarcar vôo é uma benção. Preciso me consentrar nesse tipo de coisa quando os agentes de viagens ficam enchendo o saco.

Me perguntaram no formspring pq eu chamo o local em que eu trabalho de Hotel California. BEEEEEEEEEM, é uma música dos Eagles, que eu amava. Daí um dia o Douglas no ICQ - LONG TIME AGO - me disse que essa música era demoníca, um negócio de uma seita que os Eagles participavam. Não sei direito, tem anos - literalmente - que ele me contou isso. Se o Hotel California é demôniaco eu não sei, mas já tive dias infernais lá hahahaha.

Welcome to the Hotel California
Such a lovely place
Such a lovely face
Plenty of room at the Hotel California
Any time of year
You can find us here

HAHAHA SINISTRO!



PS: clica aqui pra ler os boatos que rondam a música do Eagles.

3 comentários:

Mirian disse...

Cami, super admiro a sua capacidade de contar acontecimentos da sua vida de forma tão repleta de humor. Eu sei que não deve ter sido fácil ou engraçado tudo isso que você passou, mas mesmo assim, é impossível não senti cocégas na alma com essa sua história.
Sorte aê.
bjokas

Ni disse...

E eu achando a minha vida caótica. Pfff.
Feliz dia do amigo, Camie! <3

Katie disse...

Saudade dos seus posts, saudade da skol litrão, de conversar e fofocar!
Sei BEM como você se sente, sou altamente caxias, fico nervosa e quero ter total controle da situação, choro... HAHAHA

Fico feliz que você esteja mais calma e se dando melhor aí no emprego!


E nunca tinha prestado atenção na letra do eagles, não sabia de nada dessa lenda e tal hahahaha