4 de março de 2010

Engraçado como aquela coisa da lei da atração, quando você pensa/mentaliza muito alguma coisa, acaba acontecendo. Hoje eu tinha que ir no Toshio, mas estava com uma preguiça danada. Não tava com sono, nem nada, era apenas a mais pura preguiça. E depois do almoço ainda dá aquela moleza... Eu pensei muitas vezes em ligar e desmarcar, deixar pra semana que vem. Mas é foda, porque a agenda do Toshio é super apertada e quando eu preciso dele - tipo, no domingo de manhã - ele me atende. Então eu fui me arrastando, desejando não ir, pensando em desistir, em ligar pra desmarcar, mesmo estando na RUA do consultório.
Cheguei, peguei a revista Caras e vamos lá. A recepcionista foi avisar o Toshio que já estava lá - cheguei 10 min adiantada - e dai, ela voltou, olhou a agenda e me chamou. "Camila, a sua consulta é AMANHÃ".
Vocês acreditam nisso? DÁ PRA ACREDITAR NUMA COISA DESSA? Antes eu tivesse ligado. Mas eu fiquei feliz, de fato, eu não tava a fim mesmo de ficar naquele ar condicionado era glacial. Desci a rua toooooooooooooooooooooooooooodinha e peguei um ônibus pro shopping. Minha mãe tinha comentado que queria ir ao cinema hj de manhã, dai como eu tava sem fazer nada mesmo e não queria voltar pra casa, porque tava um trânsito do capeta, fui pro shopping e comprei ingressos pro "Simplesmente Complicado", legalzin o filme. Não dava pra voltar pra casa e dpois voltar pro shopping, fiquei matando hora lá, tentando NÃO gastar o pouco que me resta.
Daiiiii, lá estava eu na Livraria Cultura, vendo preços de livros que não iria comprar, questionando que realmente é melhor comprar pelo Submarino (apesar que na Livraria Cultura eu acumulo pontos pq tenho o cartãozinho de fidelidade) e essas coisas de becky bloom.
Sabe aquele filme que tá concorrendo pr'algum Oscar, o Precious? Peguei o livro na mão, sentei na poltrona no setor de crianças e comecer a ler a orelha, coisa que eu nunca faço... e comecei a ler o livro. Bom, tive que comprar. R$23,00 pra quem tem o cartãozinho da Cultura.
Gente... sabe qdo vc simplesmente não sabe o que dizer a respeito de um livro? Eu estou... sei lá, não sei explicar. Só acho que tdo mundo deveria ler.



Meu nome é Claireece Precious Jones. Não sei por que tô contando isso. Acho que é porque não sei onde vou com essa história, nem sei se isso é uma história nem por que tô falando; nem se vou começar do começo ou daqui desse ponto ou daqui a duas semanas. Daqui a duas semanas? Claro, a gente podemos fazer o que quiser quando tá falando ou escrevendo.

Ainda tô meio besta porque tive um neném. Bom, eu sabia que tava grávida, sabia como que fiquei grávida. Sabia que se um homem enfia o pau em você, jorra coisa branca na sua xota, você pode ficar grávida. Mas era só o que eu saboa. Não sabia quanto tempo demorava, o que acontecia lá dentro, nada, não sabia nada.

Dessa vez sei que mamãe sabe. Ahã, ela sabe. Ela trouxe ele pra mim. Não tô maluca, aquela piranha fedorenta me deu a ele. Na certa foi o que ele exigiu pra comer ela: me comer também. (...) "Vou casar com você", ele tá dizendo (...) E aí, criolo, como é que você vai casar comigo se é o meu pai.

Pra mim isso não é nada novo. Sempre teve alguma coisa errada com as prova. As prova dá uma ideia de que eu não tenho cérebro. As prova dá uma ideia de que eu e minha mãe, minha família inteira, que a gente somos mais do que idiota, a gente somos inivisível.


E ai? Isso porque eu ainda nem cheguei na metade do livro. Sem palavras. Dá vontade de sair atirando nessas pessoas que abusam de filho, seja emocionalmente e fisicamente. É um troço que me deixa pra lá de indignada.

;*


9 comentários:

Julia disse...

eu realmente não quero ver o filme porque sei que chorarei etc.

:*

Larissa disse...

Tenso, hein? Fiquei com muita vontade de ler.

Shibbo disse...

Eu vi o filme há umas duas, três semanas e até agora não sei o que dizer sobre ele, também.

Katie disse...

Não to no clima pra esses filmes ou livros, mas fiquei curiosa!

Ah, e lei da atração funciona MESMO.

r. disse...

Assisti o filme faz um tempinho, não sabia que tinha o livro, chorei pra caramba com o filme, o assunto é bem pesado, não sei se vou ler o livro não, levando em conta minha reação vendo o filme .

Mirian disse...

Ai, Camie... entendo a sua reação, flor. Sabia que eu trabalho num setor de violência contra a mulher. Isso aí é a minha rotina de trabalho. Dá vontade matar geral. Como não posso, peço muito a Deus que Ele se encarregue de dá o troco.
Bjokas

Amanda disse...

Hahahahahaha o destino dá uns avisos para a gente e não percebemos.
Pelo menos você encontrou esse livro.. tenso a história, quero muito ler..

Daniela Nunes disse...

Nossa, fiquei com vontade de ler esse livro!
Pobre Claireece, assim como ela, muitas outras filhas são abusadas pelo pai! Dá vontade de sair atirando nessas pessoas que abusam de filho, seja emocionalmente e fisicamente. [2]

bruna disse...

Putz, Cami, comprei o livro por causa deste post e (desculpe), putaqueperiste, fiquei na maior depre por causa da guria da história... mas é um bom livro.