28 de abril de 2009

Tava enrolando litroz pra ler o livro, achando que era um dramalhão e que eu ficaria triste e cheia de mimimices. É triste, mas é tão bonito que acabei gostando mais do que o esperado. O livro conta a história do Bruno, um menino de oito anos (ou nove? esqueci!) que vive feliz e saltitante pela Alemanha nazista, daí, um dia chega em casa e descobre que estão de mudança. O pai dele é promovido, pelo próprio Fúria (Führer), o menino se revolta que não quer mudar, mas ele acaba indo com a família para o que ele chama de Haja-Vista (Auschwitz). Qdo ele chega na casa nova, ele vê pela janela do quarto a suposta fazenda e acha curioso o fato dos vizinhos usarem o dia todo o pijama listrado. Na família nada se fala sobre isso, a mãe proíbe ele sair de casa, se aproximar da cerca. Mas BOBAGEM, né, um dia ele sai pra explorar a tal fazenda vizinha e dpois de 2 horas de caminhada, encontra um garoto igual a ele do outro lado da cerca, o Shmuel. Ficam amigos e o livro se desenrola nessa amizade dos dois. Eu tava lendo pela internet de pessoas revoltadas porque OH MELDELS, O LIVRO NEM MOSTRA OS HOLOCAUSTRO, mas OI, quanta gente burra! HAHHAHAHAHA. A narrativa é toda pelos olhos do Bruno e a graça é que ele não vê a maldade nas coisas, por ele ser inocente, por ele ser criança. Ele sempre acha uma desculpa quando o Shumel fala isso e aquilo sobre os soldados, coisa de criança mesmo, falando que o pai dele é uma pessoa boa, que um dia ele pode ir pra Berlim e conhecer a família dele. Eu acho que tá ai a graça do livro, porque a gente sabe muito bem o que rolou durante a guerra e blábláblá, e vendo as coisas pelo olhar do Bruno e do Shumel é tão... sei lá, não sei explicar. Eu ficava torcendo para que o livro acabasse com o final feliz, mesmo sabendo que isso não ia acontecer. E o livro acaba com uma puta-ironia-que-meldels! E outras pessoas nessas comunidades do orkut, não entenderam bem o que aconteceu. GENTE HAHHAHAHA! Interpretação de texto banda beijos.
Também li comparações com o outro livro "A menina que roubava livros", mas não tem nada a ver. Essa alienação do Bruno, vamos dizer assim, é diferente, ele era rico, tinha uma puta casa, o Hitler em pessoa (que ele chama de Fúria, porque não consegue pronunciar direito) vai na casa dele dar as boas-novas pro pai do Bruno e todo mais. Já Liesel era pobre, tinha todo um outro contexto por trás. Ela foi marcada por outros acontecimentos mais fortes quando era pequena, dai, amadureceu e sabia o que tava acontecendo. São livros diferentes com a 2º Guerra Mundial de fundo, mas um não tem nda a ver com o outro. E a vida do Bruno só muda porque ele vai morar na tal fazenda. E mais pra frente, tenho certeza que nem a mãe do Bruno tava ligada no TAMANHO do campo de concentração que era Auschwitz, dai quando cai a ficha ela quer ir embora. Isso mostra que nem as pessoas da família tinha ciência completa do que acontecia, uma alienação total. E o final, como eu disse lá em cima, é inocentemente lindo, trágico e de se esperar.

Leiam XD

Nesta comunidade do orkut tem pra download, fikdik.

Um comentário:

Katherine disse...

torce pra cultura gostar de mim quinta-feira que eu compro isso com desconto! hahaha
me interessei. O_O ah, e sempre tem um monte de imbecis pra não entender o óbvio!

:***