14 de abril de 2014

Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia, Nelson Motta

Esse livro é cheio de historinhas pra mim. 

- No ano novo de 2009 para 2010, eu estava na praia com a minha família e conversando de livros com a minha prima Mariana. E ela me havia me perguntando se eu já tinha lido essa biografia do Tim Maia, que era muito boa e que eu ia gostar, já que era fã do Tim. Arquivei a recomendação da Mariana.

- Passei dois anos ensaiando a comprar desse livro. Primeiro, tava muito caro. Depois, tinha esgotado na editora e não achava em lugar nenhum. GRRRRR! Minha vida é 8 ou 80, sempre.



- Nunca tinha lido uma biografia NA VIDA. Comecei a ler o livro bem devagarinho em 2012. Dai, meu pai morreu. E tudotudotudotudotudo que é relacionado a Tim Maia na minha vida, tem haver com meu pai. Foi com ele que comecei a gostar das músicas do Tim, desde as mais conhecidas e até a fase racional. É uma herança musical muito forte na minha vida, então, eu não consegua nem pensar em TIM MAIA, muito menos ler alguma coisa relacionada. Acho que essa fase do luto é a pior de todas. É uma dor enorme e as pessoas não entendem muito bem e toda vez que tocava alguma música em festa de família, eu queria fugir para as montanhas (ou explodir o auto falante). Mas passou, dai, decidi acabar logo e terminar a leitura. O mais curioso (pelo menos pra mim), é que acabei lendo esse livro lá na praia, onde a Mari, há 4 anos tinha me recomendado :)

O que dizer de Sebastião Rodrigues Maia, esse cara que conheci pouco mas já considero pakas? Hahahaha! :P A história do Tim não é conto de fadas, a gente sabe muito bem como acaba (e me deu um aperto no coração quando eu terminei de ler), mas é uma ótima lição de vida. Ele começou a trabalhar desde pequeno vendendo marmita, mas o seu negócio sempre foi música e foi uma loooonga trajetória até ele conseguir reconhecimento. Nelson Motta conta um monte de causos, inclusive que Tim Maia ensinou o Erasmo Carlos a tocar violão e outras fofocas da música popular brasileira. No começo demorei pra me acostumar com o ritmo do livro, porque Ô Nelsomotta (haha) vai jogando vários dados da música brasileira, nome de músico, de compositor, disso e daquilo e você meio que se perde no meio de tanta informação. Essa foi a minha maior dificuldade, viu. Mas depois eu peguei o embalo. As histórias são ótimas, aquela que o Tim vai torrar unzinho em um tipo de quarto da ventilação do estúdio (não me lembro agora o nome do lugar) e o cheio da marofa invade toooooooodo o estúdio hahaha. Quando ele berrava "estratégia" pra banda, dando sinal pra ir embora porque não ia ter mais show (independendo o motivo), das multas de trânsito e apreensões de carro que escapou dando carteirada falando que era o TIM MAIA DO BRASIL e tome aqui meu LP. A facilidade com que fazia amigos, como convencia os músicos a trabalhar pra ele, mesmo não sabendo quando teria pagamento. O consumo de drogas adoidado, as paranóias, os relacionamentos amorosos que ele sofria de amor, mas também fazia a mulherada sofrer a beça.
O que aprendi com esse livro? O Tim correu atrás dos sonhos dele, sempre. Ele sabia que tinha talento, que sua voz era totalmente diferente do que havia na cena musical brasileira, e com o carisma dele, foi conquistando as coisas e gerenciando a sua carreia.
Tim Maia era muito autoral, montou a sua própria gravadora, editava seus lps e não deixava ninguém ganhar dinheiro em cima das suas composições. Se ele lutou e trabalhou por tudo aquilo, ele tinha que ganhar por tudo, sem a gravadora mandando ele fazer o que ele não queria. Tim presava muito a liberdade, gostava de fazer as coisas do seu jeito, seja na carreia musical e na vida pessoal.
De todas as histórias, os altos e baixos, o que mais me marcou foi a força que ele tinha em si mesmo, de acreditar no seu trabalho, de meter as caras e ser cara de pau, de conseguir transformar coisas ruins em ruins. "Azul da cor do mar" foi composta quando ele tava na maior merda, não pegava mulher nenhuma, seus amigos Roberto e Erasmo Carlos bombando, e ele lá, morando de favor em um quartinho não sei a onde, escutando os outros festejarem e ele ali na maior depressão. Isso pra mim é inspirador. "Azul da cor do mar" é uma das músicas mais famosas dele e todo mundo sabe cantar. E ele tá mais do que certo quando disse que "na vida a gente tem que entender que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri". QUEM NUNCA?
Não concordo com tudo o que ele fez em vida, Tim tinha inúmeros defeitos (machista, autoritário, mentiroso), mas não dá pra odiar ele, não consigo e nem quero. Todas as músicas, a contribuição que ele teve na música brasileira, introduzindo a soul music (MÚSICA DE PRETO, como ele gostava de falar, hahaha) numa época que o país só queria saber de bossa nova (ZZZzZzzZZZZz). Trabalhou com os melhores músicos da época, a banda Vitória Régia era impecável (AQUELES METAIS, PELO AMOR DE DEUS), ele era dono do próprio trabalho e tinha autonomia sobre tudo. Enfim, vale a pena a leitura.
Obrigada Mari, pela recomendação. Quem tiver a oportunidade de ler, por favor, leia. Ame ou odeie, mas Tim Maia foi um artista brasileiro que pensava fora da caixinha e via as coisas bem adiante do seu tempo. 



8 de abril de 2014

Meme Rotaroots: 5 personagens que gostaria de ser

AEEEW! Faço parte do Rotaroots desde o começo, mas nunca tinha criado vergonha na cara pra escrever um post de fato. Mas, acontece que os temas de Abril estão impedíeis. Comecei pelo meme que está mais fácil. A proposta era escrever sobre 5 personagens (livros, quadrinhos, seriados) que mudaram a minha vida ou que eu gostaria de ser. 
Pela minha listinha eu percebi que preciso ser um pouco mais BADASS nessa minha vida. Os personagens tem a mesma coisa em comum: ambição. Enfim, aqui está minha listinha.

Peggy Olson de Mad Man 

Peggy começou a trabalhar na Sterling Cooper como uma simples secretária do poderoso Don Draper. Rapidinho a Peggy mostrou que não era só um rostinho rechonchudo na agencia de publicidade. Ela tem uma força extraordinária, pensa fora da caixa, não tem medo de trabalhar e super ambiciosa. De secretária virou redatora. De redatora, virou o braço direito (e esquerdo) do Don, mandando mesmo no depto de criação na agência. Peggy é super inteligente e leais aos seus objetivos. ‘Garrei um amor e uma admiração forte e a sua evolução é inspiradora! Vivendo naquele mundinho machista dos mad men, ela conseguiu se impor e ter o lugar ao sol. Peggy samba na cara de todo mundo e gostaria MUITO de ser ela. Foda pacarai. Veni, vidi, vici!





Christina Yang de Grey's Anatomy 





AMO A YANG! MAIS MACHO QUE MUITO HOMEM! Admiro muito sua força e lucidez, poder de decisão e o quão focada e determinada ela é na sua carreira. No começo achava a Yang meio fria e calculista, mas, qual é o problema disso? Ela tem uma fome de aprender e absorver as coisas que é admirável. Yang lutou pra ser a melhor interna de Grey’s Anatomy, lutou pra desenvolver as suas habilidades na cardiologia e até abriu mão do seu grande amor na época. Muito corajosa e não gosta de perder tempo com mimimis e dilemas chatos de relacionamento. Enquanto um casal fica discutindo relação, ela já faz a sua decisão (por mais difícil que seja) e vai operar uns corações pelo hospital hahaaha. E ela também, ama, e sofre (pra caramba). Auto estima nas nuvens! Gosto dessa racionalidade da Yang, de ir direto ao ponto. Quer ficar comigo? Fique. Quer aprender comigo? Observe. Badass demais 

Walter White de Breaking Bad 



O cara era um professor de química desacreditado do ensino médio. Inteligente pra caramba, mas afogou toda a sua ambição e determinação se contentando com o mínimo. Viveu a vida sob as regras da sociedade, tentando dar o melhor pra sua família e falhando. Daí, o destino resolveu lhe pregar uma peça: CÂNCER DE PULMÃO. PAWWWWWWWWWW! Depois do diagnostico, ele tomou controle da sua vida e resolveu ganhar dinheiro fazendo aquilo que mais ama: sendo um químico. E fabricando metanfetamina, hahaha. TORNOU-SE O MAIOR TRAFICANTE DE TODOS OS TEMPOS! Não que eu queira ser uma traficante de drogas , mas véi, como não admirar essa história? Ele tomou o controle de tudo e tornou-se o melhor de todos os tempos. Parou de fazer as coisas pelos outros e começou a fazer por ele. Chega de desculpas, de falar que foi pela família. Ele saiu do casulo e tornou o que sempre quis ser: GRANDE. E foi. 


Sargento Donny Donowitz de Bastardos Inglórios 



Um soldado judeu que matava nazistas com um taco de basebol

O CARA METRALHOU HITLER COMO SE FOSSE UMA PENEIRA!!!!1111 

I rest my case!

Linda essa art 


Samantha Jones de Sex and The City



Bem resolvida profissionalmente, tem sempre a melhor resposta na ponta da língua, transa com quem quer, onde quer e quanto (e como!) quer. Mil casos amorosos, já ficou com mulher, teve câncer, usou peruca, é truqueira e já fez de tudo por uma Birkin, não tem medo dos homens, não gosta de MIMIMI e vai direto ao ponto. Feminista e não deixa ninguém passar por cima dela. AMO SAMANTHA JONES! Ela não se trai em nenhum momento e não se engana. Samantha sempre esteve a frente das suas amigas no seriado e nem acho que seja pelo fato dela ser mais velha. Ela é sempre foi a mais engajada, atualizada e independente, fora dos padrões típicos. 


Essa cena, essa frase, essa atitude. 


Sem medo de ser feliz, de estar sozinha e de se colocar em primeiro lugar. Samantha é incrível!


Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

7 de abril de 2014

Como eu era antes de você, Jojo Moyes

Quando terminei de ler Easy, da Tammara Webber, eu ainda estava num humor literário para romance. Sem pensar muito (e sem nem ter lido a sinopse, sou dessas hahaha) peguei o "Como eu era antes de você" da Jojo Moyes pra ler. Com esse título, já imaginava um livro do tipo "garota leva um pé na bunda, sofre, mas no fim vira uma empresária de sucesso com filho e marido". Só o título me sugeriu tudo isso, mas eu estava totalmente equivocada. AINDA BEM, VIU.

 CAPA FOFA DEMAIS! ❤ 


Como eu era antes de você narra a história da Louisa, uma jovem de 26 anos que trabalha em um café em uma cidadezinha pequena da Inglaterra. Lou vive a vida bem devagarinho, sem maiores expectativas pra si mesma. Ela namora um cara há 6 anos, mora com os pais e irmã mais nova, e garante o sustento da casa com os rendimentos do café. Tudo muda quando o café em que ela trabalha fecha e ela está desempregada. Então, Louisa começa procurar emprego na única agencia da cidade, e cada emprego é uma enrascada. São sub-empregos, do tipo trabalhar em uma fábrica de frango, porque ela não tem faculdade e nenhum outro atributo. A única coisa que diferencia a Lou de todas as coisas apáticas da vida dela é o modo que ela se veste. Toda colorida, fazendo combinações exóticas como usar meias listradas e casacos amarelos. Numa nessas indas e vindas da agencia de trabalho, surge um emprego para cuidadora de um tetraplégico. Ela não tem experiencia NENHUMA, mas como paga MUITO BEM e o contrato são de apenas seis meses, ela acaba indo para entrevista porque não tem muito a perder...
A entrevista de emprego é hilária, sério, eu ri alto com os constrangimentos da entrevista. Quem nunca passou um perrengue de usar uma roupa errada, ou de ser sincero demais nas respostas e tem aquela impressão de O QUE EU ESTOU FAZENDO AQUI MESMO? que atire a primeira pedra. Ela acaba passando nessa entrevista (e depois a gente fica sabendo o porquê) e começa a fazer parte da rotina de Will Traynor, um executivo que ficou tetraplégico após um acidente de moto.
O livro é uma delícia, você fica viciado nos personagens, a narrativa mescla humor com uma fina ironia. Tem horas que ri alto no meio do ônibus e outras que chorei no meio da Starbucks hahaha. Mas não é aquele dramalhão forçado e piegas do tipo Nicholas Sparks, sabe? Eu gostei porque é um romance perfeitamente real e plausível
A química entre os personagens de Lou e Will é muito boa, os dois estão em lados opostos. Ele viu tudo da vida (ou pensa que viveu), era uma pessoa super ativa, do tipo escalar o Monte Everest. A Lou sempre foi muito conformada (e acomodada) com a rotina que levava, vivendo a vida das outras pessoas pelas histórias que escutava no café. Então, é um encontro de diferentes perspectivas entre as personagens.
Além disso, Jojo Moyes aborda outros assuntos no romance, mas que não dá pra falar aqui porque é mega spoiler. Vale MUITO a pena ler esse livro, sério. É daquele tipo de leitura que faz você refletir sobre zilhões de coisas. Um romance super bem escrito, com vários personagens interessantes (você vai ter que ler pra descobrir) e que mexeu bastante comigo. Li essa história junto com a Sam (clube do livro!), depois recomendei a leitura para mais duas amigas (May e Nika ) e elas também gostaram muito. Então, por favor, leia. 
Pra quem tem Kindle, segue o arquivo em .mobi pra download. E sou uma mãe, né? Hhahaha. AH! Logo quando terminei de ler, mandei um tuíte pra autora e não é que ela respondeu? Hahahaha uma querida.



LEIAM. POR FAVOR. SÉRIO. Para tudo e vai ler

31 de março de 2014

Easy, Tammara Webber

ALÔ, ALÔ, GALERA QUE CURTE UNS new adult DA VIDA. Esse livro é pra você! Que pretensão a minha dizer isso, mas olha, dos tantos new adult que li por aí, sem dúvida, Easy é o melhor de todos. A fórmula apresentada é a mesma: garota na idade da faculdade que encontra garoto misterioso. A diferença é que autora, Tammara Webber, não teve pressa nenhuma de desenvolver a história. Muitos livros por aí perdem por isso, tá tudo muito bem, daí faltando 30 páginas pra história acabar, acontece de tudo um pouco, uma correria com enredo danada. Então, temos um bom desenvolvimento (para o livro de 400 e poucas páginas) e os personagens são bem legais. 
Easy nos conta a história da jovem universitária Jacqueline, que logo no começo das primeiras páginas do livro, sofre uma tentativa de estupro. O LIVRO JÁ COMEÇA COMEÇANDO: tiro, porrada e bomba #ValescaPopozuda. Esse agressor é amigo do ex-namorado dela, então, só torna a coisa toda bem pior... Então, aí que entra o BOY-MAGIA-MISTERIOSO, no caso, ele se chama Lucas e frequenta uma mesma matéria que a Jacqueline na faculdade. 
O livro tem uma abordagem bem bacana sobre como uma vítima de estupro e assédio é tratada pela sociedade. Jacqueline vive com medo, ela não tem sossego com esse agressor andando pelo campus para lá e pra cá. A história faz um trabalho básico de conscientização com a mulherada: A CULPA NÃO É SUA. Apesar do tema #tenso, a história de Lucas e da Jacqueline é bem bonitinha, você fica torcendo para eles ficarem juntos e quase morri de ansiedade sobre o ~mistério misterioso~ que ronda a vida do Lucas. E MANO, socorrow, crush literária total nesse moço. Cada vez que a Jacqueline vai desvendando o quebra-cabeças que é o personagem do Lucas, mais eu fui 'garrando um amor na história do moço. 
Algumas pessoas estavam comparando Easy com Belo Desastre, da Jamie McGuire (que também é um new adult). Olha, não tem NADA a ver. Belo Desastre é horrível e pura perda de tempo, os personagens são cheio de mimimis, nossa, tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO me irritou naquele livro. A construção da história, nossa, toda hora tinha DR no romance, muito chato. Não tem nada a ver. Easy é bem mais convincente e melhor elaborado. E quem quiser ler no Kindle, pode baixar o arquivo clicando aqui. Hehehehe, é pra ler, hein. 

26 de março de 2014

Metralhadora cheia de mágoas

É justo a gente julgar quando alguém se afasta da gente pq estamos passando por um momento ruim? É justo apedrejar essas quando os amigos somem, quando o namorado dá um pé na bunda, quando você fica falando sozinho no Twitter, sem likes no Facebook e sem convites pra sair, pq estamos passando por um mau momento?
Quando a má fase chega, geralmente nos enrolamos em cobertor de tristeza. Nada tá bom, nada tá legal, a sua vida tá uma grande merda. E você reclama, porque tem todo o direito. E a gente afunda, se acomoda,  não enxerga saída nenhuma para o problema. Chora escutando música. Chora debaixo do chuveiro, no ônibus, no banheiro do trabalho e nada daquela penumbra sair. Quem nunca quis fechar os olhos e sumir, que atire a primeira pedra. Aliás, quem nunca quis sumir só pra saber quem ia dar pra sua falta, que atire um canhão de pedras. “Bando se gente falsa”.




De alguma forma, num dia menos ruim no meio daquele inferno de tristeza que estamos passando, a gente toma fôlego pra ver algumas coisas ao redor. Percebe que todo mundo sumiu. Que tá sozinha e que culpa é dos outros. Ninguém realmente se importa ou deu sua falta. As pessoas continuam fazendo os seus programas de sábado à noite, o chefe continua cobrando, o feed de notícias continua sendo alimentado com um monte de besteiras e foi só você que parou, foi o seu mundo que ruiu, o dos outros não. E muita coisa acontece ao nosso redor enquanto estamos na pequena bolha escura de tristeza. Eu tenho alguns pontos de vista sobre isso... 

a) Quem se importa com você, sempre vai te dar um apoio. O que pode acontecer aqui é que simplesmente não percebemos. No meio do caos e da confusão, só temos um ponto de vista: o nosso. 

b) Quando você recebe ajuda/apoio, você na fase ruim pode simplesmente ignorar isso. Tristeza, problemas, depressão e essas coisas do tipo nos tornam reclusos. Muitas vezes é a gente mesmo que empurra as pessoas para fora das nossas vidas. Rejeitando, tendo atitudes egoístas, brigando, ignorando e, principalmente, sendo escroto. É aquele momento de reclusão e você não quer saber de ninguém. “Nossa, mas quando eu MAIS PRECISEI, vocês foram embora”. Daí, eu te pergunto. Você teria ficado? Tem uma hora que cansa.


c) Quando alguém precisou mesmo do seu apoio, assim, mesmo MESMO, você esteve lá pela outra pessoa? Isso conta muito. Amizade é companheirismo. Você realmente se IMPORTA com as outras pessoas, com o seu círculo de amizade? Às vezes um simples SMS/mensagem no whatsapp já faz o nosso dia um pouco melhor. Se relacionar com as pessoas exige trato, exige cuidado, amor. Não porque você é obrigado, mas porque você quer a pessoa bem, porque você se preocupa e se importa.

d) Você pode ter apoio dos seus amigos, da sua família, namorado, dos seus colegas de trabalho, mas temos que sair sozinho desse lamaçal. Quando as coisas ruins acontecem, a gente tem que aprender sozinho com essa situação. Apoio é legal, é ótimo, é maravilhoso. Mas só fazendo o suor escorrer do rosto que a gente aprende. E esse é o melhor da tristeza, da depressão, dos becos sem saída: quando a gente levanta e consegue entender o que está acontecendo e sair disso tudo. Procurando um médico, mudando de emprego, começando uma faculdade nova, largando de um relacionamento ruim e seja lá o que for que está te consumindo.  

Existem casos e casos, estou colocando minha opinião de forma generalizada. Mas eu gostaria que todo mundo visualizasse as situações por todos os pontos de vista possíveis, em um momento de lucidez. Acredito que ninguém é obrigado a conviver com uma pessoa âncora que te puxa pra baixo, acredito que ninguém deva pausar a sua felicidade ou seu momento de vitória porque você está passando por uma má fase. Ninguém tem culpa dos nossos momentos ruins, dos nossos erros e das escolhas erradas. Ninguém sabe o que se está se passando com o outro. Cada pessoa é um universo particular, com seus infernos e demônios, com os altos e baixos. Por mais difícil que seja, é bom manter outros pontos de vista e ter fé em si mesmo pra aprender com os maus momentos, trabalhar e brindar pelas coisas boas que estão vindo por aí. 


"O verdadeiro marco da maturidade é quando alguém te magoa e você tenta entender a situação ao invés de revidar" 

24 de março de 2014

O Chamado do Cuco, Robert Galbraith

Faz tempo que não falo de livro por aqui, néam. Em janeiro li 5 livros, em fevereiro não li nada. Eu sou 8 ou sou 80, não trabalho com meio termo. Ano passado quando todo mundo descobriu que Robert Galbraith era um pseudônimo usado por J.K Rowling a blogosfera literária surtou. Todo mundo comprando “O Chamado do Cuco” e eu que tava cheia de coisa pra ler, tive que colocar minha ansiedade dentro de um potinho e focar nos livros da minha estante.
Acho que esse é meu PRIMEIRO ROMANCE POLICIAL! Vixe! Uma vida todo lendo romance, new adult, young adult e chick lits. Nunca li Sherlock Holmes e nem Agatha Christie, me julguem.
A história começa com esse detetive chamado Cormoran Strike, veterano do Afeganistão, introspectivo, grandalhão, meio bruto e falido. Ele é contratado pro John Bristow para investigar a morte de sua irmã, uma super modelo chamada Lula Landry. Todos acreditam que Lula cometeu suicídio pulando da sacada de sua casa, por causa do histórico depressivo da modelo. Mas o irmão discorda e acredita que Lula foi assassinada. Esse é o plot.
O livro ficou praticamente morando uns 10 dias dentro da minha bolsa, eu começava a ler e a narrativa não me prendia. O começo é beeeeeeeeeeeeeeeeem arrastaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadoooooooooooooo. Meu Deus do céu! Strike é SUPER meticuloso, então, ele vai investigar tudo, falar com Deus e o mundo que convivia com a Lula, entrevistar a galera, refazer os passos e tudo mais. E, tem uma hora, que ele já falou com tanta gente, já fez tantas perguntas que eu fiquei confusa com tanto personagem. Tava com impressão que estava deixando passar pistas do suposto “suicídio”.
Valeu a pena insistir na meticulosidade do Strike, viu. Lá pro meio do livro a gente começa a entender as peças deste quebra-cabeça e já vai agarrando um amor nesse detetive e na secretária dele, chamada Robin. ALIÁS, a Robin pra mim foi uma surpresa. Sabe quando você não entende muito bem a função da personagem ali no meio de tudo aquilo? No começo foi tipo isso. Os dois formam uma dupla inesperada. O livro tem um bom humor, sabe? Tipo, o personagem do Cormoran é super discreto com a vida pessoal, bem introspectivo mesmo, mas a família dele é bizarra. A mãe dele foi uma groupie famosa e o pai é um astro do rock dos anos 70 (se não estou enganada) haahaha loucura. Tem uma passagem do Cormoran bêbado que é bem engraçada. 
Quando fui chegando ao final da leitura, eu até perdi o ponto do ônibus hahaha. E o foda é que o Strike vai juntando as peças e chegando perto de uma conclusão e eu estava MEU DEUS DO CÉU, QUE AGONIA, DIVIDE LOGO COMIGO O QUE VOCÊ DESCOBRIU. O desfecho é bem legal e o título do livro faz TODO o sentindo. Recomendo. E ó, quem baixar o livro pra download formado pra Kindle, clica aqui. De nada! Não tem desculpa pra não ler :)  

11 de março de 2014

Te ganhei no paparico, te papariquei!

Sabe aquela música que você escuta, fecha os olhos, inclina um pouco a cabeça, vai balançando o corpo, dá uma jogadinha pra lá e pra cá com o ombro e fica viajando? Adoro esses momentos, eu vivo para esses momentos! E, geralmente, quando dou essa balançadinha com o corpo e viro a cabeça, a música é de amorzinho. Uma puta cantada bem mela cueca, mas que a criola aqui pira.
Então, estou compartilhando com todos vocês o meu TOP TEN (na verdade são oito haha) MELHORES CANTADAS/DECLARAÇÕES MUSICAIS, na minha opinião. 




)

Treasure, that is what you are
Honey you're my golden star
I know you can make my wish come true
If you let me treasure you

Eu gosto dessa cantada porque ela é divertida, o cara está auto-confiante na medida certa e ainda te valoriza. Se eu sou o tesouro, me põe na caixinha, princeso! Hahahahaha #aloca Meio gêmeos com ascendente em leão essa música. #alocadaastrologia 


)

Loving you like I never have before
I'm needing you just to open up that door

Melô do COMO IMPLORAR PRA MENINA FICAR COM VOCÊ sem ser chato e nem (muito) cafona. Tá salvo em nome de Jesus e da Criola Doida por toda a eternidade  ❤ ❤ 


)

No mountain could ever stand between us
No ocean could ever be that wide
No river too deep to keep your love from me
I swear it's the truth
Nothing can keep me from you

SOCORROWWWWWWWW. O cara vai lá e me fala que nem montanha, nem rio, nem o raio que parta vai manter ele longe de mim! Quase um Wando do hard rock! A FORÇA DA NATUREZA NÃO PODE NOS SEPARAR, BABY! Eu caso na hora, em cima da montanha, se pá.


)

SEM SEU AMÔ SOU UM MENDIGÃO DA SÉ, UM CACHORRO SEM OSSO. CÊ É MEU ANJO, VEM CÁ ME SALVAR, VEM! #TraduçãoDaCriola
Como não amar? E como não ir lá dar o osso pro cachorro depois dele passar essa cantada sem vergonha? Eu viro adestradora na hora haahah. 


)

I'll be there for you
I'd live and I'd die for you
I´ll steal the sun from the sky for you
Words can't say what love can do
I'll be there for you

PALAVRAS NÃO PODEM DIZER O QUE O AMOR PODE FAZER: EU ESTAREI LÁ POR VOCÊ! Hahahahaha sensacional! E a parte em que ele fala "quando você estiver bêbada, eu serei seu vinho". DIONÍSIO DO HARD ROCK!


)

É PRA SEMPRE, MOZÃO. DESSA VEZ EU TENHO DÚVIDA NINHUMA! QUERO TE ABRAÇAR PRA SEMPRE!!!!!!!!!!!111 #TraduçãoDaCriola
Essa música é aquela que canto tão empolgada e bato a mão no peito, sabe? RIDÍCULA, EU SEI, MAS EU SOU ASSIM. #medeixa 


)

And when it's over
I know how it's gonna be
And true love will never die
Not fade away

Cantada clássica e imperdível! Essa aqui o moço começa meio cabisbaixo, meio pessimista achando que nada vai mudar, mas daí ele pergunta pra menina, vamos tentar de novo? Ele diz que quer abraçar, pede pra ela não ir embora porque ele tem algo a dizer. Daí, ele diz QUE NÃO PODE PARAR DE AMÁ-LA, vixe! Eu ainda gosto mais dessa letra porque ele diz que as amizades mudam, as nossas ideias, as coisas que falamos e fazemos, mas quando ela olhar lá pro fundo do coração, ELE ESTARÁ LÁ! ❤ 
ESSA MÚSICA LACRA MUITO! É ou não é pra juntar as escovas de dentes? Pra chamar de Mozão? Me ama no chão, pfv. 


)

I'm the one who wants to be with you
Deep inside I hope you feel it too
Waited on a line of greens and blues
Just to be the next to be with you

A top das cantadas! Essa lista começou por causa dessa música. Como NÃO se derreter com o verso "por que ficar sozinha se podemos ficar juntos? Você pode fazer minha vida valer a pena e eu posso fazer você começar a sorrir!". Essa música é uma graça de verdade. Tem uma parte em que ele diz pra menina reerguer a confiança pra ela ficar forte novamente! Pelo amor, vem cá, me dar um cheiro hahaha.

Euzinha drunk in love dpois desse post ❤ 

Tem outras taaaaaaaaantas músicas, mas, basicamente, essas são as minhas favoritas! Quem quiser compartilhar nos comentários/twitter/facebook qual seu melô cantada favorito, fique avonts.

13 de fevereiro de 2014

David Bowie LACRANDO o MIS

Ano passado quando deu-se a notícia que a mostra do David Bowie viria para o Museu da Imagem e do Som, já fiquei doida de ansiedade. 
Acho que todo mundo sabe que amo demais o David Bowie. Tudo começou quando eu era criança e minha mãe alugou o filme em VSH chamado “Labirinto – A Magia do Tempo” e fiquei encantada com o filme e, lógico, com o Jareth, o rei dos Duendes. Cresci e por influencia da minha mãe (que também gosta do Bowie), ‘garrei um amor demais nesse homi e ‘tamo aqui até hoje. Eu lembro que meu primeiro dinheiro de estagiária eu comprei um sapato e o DVD do filme Labirinto. PRIORIDADES, MEU BENHÊ.
Todo mundo que é fã do Bowie precisa ir. É uma experiência bem sensorial, pelo menos, pra mim foi assim. Antes de começar a visitar as salas, você recebe um fone de ouvido \o/ Conforme você passa pelas vitrines, a música é ativada e você tem uma trilha sonora durante toda a exposição. Gente, sensacional. Logo no começo tem a salinha de Space Oddity, você mal chega no lugar e já é recebido com a voz do Bowie falando "GROUND CONTROL TO MAJOR TOM". Fiquei arrepiada sim ou claro? ❤ ❤ 
Além dos figurinos, que são IMPECÁVEIS, tem manuscritos. O QUE É A LETRA DO BOWIE? #fangirl

Manuscrito da letra de Ziggy Stardust

A vontade que eu tinha era de abraçar as vitrines. Teve uma hora que me peguei de braços abertos haahah tipo, aloca total. Fotografias, pinturas, sapatos, ternos, objetos, pôsteres, capa de vinil, trechos de filmes, instrumentos musicais, videoclipes, quadros e de tudo um pouco. Vá com tempo de ficar absorvendo tudo aquilo, porque tem bastante coisa pra ouvir, ler e sentir.
Na vitrine que tem aquele famoso macacão assimétrico assinado pelo Kansai Yamamoto, tem o depoimento do estilista falando de como foi o processo de trabalhar com o David Bowie. Houve um cuidado muito grande dessa parte do áudio visual o que torna a exposição bem mais dinâmica.



A sala principal é sensacional, um salão com os figurinos do Bowie com o telão em volta da sala circular com a música tocando bem alto, literalmente um show mesmo. Só faltavam os bons drink! A exposição vai até o dia 20 de Abril, então, tem que ir. E num preço super bacana, R$10! De terça-feira a entrada no MIS é de graça, então, caso você esteja de bobeira numa terça-feira, vai lá no MIS e manda um beijo pro Bowie por mim. ;)

Fame, makes a man take things over 

Ah, já estava esquecendo de falar: nem leve sua câmera fotográfica e segura a onda de instagramear tudo. Não pode tirar foto! :(((((( Mas, por um lado, é até bom. Você meio que esquece das coisas lá dentro. 

Douglas, se você estiver lendo isso, mais uma vez, obrigada pelo passeio ;*


DAVID BOWIE
MIS. Avenida Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777.
3ª a 6ª, das 12 h às 20 h (sáb., das 10 h às 21 h; dom. e feriados, das 11 h às 20 h).
Ingressos: R$ 10 (3ª, grátis). Até 20/4.

3 de fevereiro de 2014

Boletim hoteleiro: como escolher um hotel bom em qualquer lugar do mundo!

Como fiz faculdade de Hotelaria, muitas pessoas que me conhecem acabam pedindo dicas de hotéis quando vão viajar. Não só hotéis aqui em São Paulo (onde eu moro), mas já me mandaram inbox no Facebook pedindo dica de hotéis na Europa e roteiros. Hahaha! Olha, gostaria muito de ter uma vasta experiência de hotéis no continente velho, mas olha, nunca saí do país. O mais longe que fui foi pra Aracaju em uma troca de aeronave hahaha. Como muita gente (mesmo!) me pergunta como escolher um hotel ideal e tudo mais, resolvi fazer esse post pra ajudar vocês, meus amigos e leitores (!) viajantes.

– Defina seu orçamento
Vou jogar a real aqui pra vocês, antes de TUDO, você precisa saber o quanto pretende gastar por dia em hospedagem, monta seu orçamento da viagem certinho: passagem, alimentação, transporte, compras e hospedagem. Tem pessoas que abrem mão de conforto pra poder gastar mais em compras, tem gente que não abre a mão de segurança e quer ficar em um meio de hospedagem mais estruturado. Trace seu perfil de viajante. Se você vai viajar com amigos, com criança, com mãe, com idoso. TUDO INFLUENCIA. Tua mãe não vai gostar de dividir um quarto com 5 mochileiros e coisas do tipo.

- Escolha a localização
Um dos fatores decisivos na escolha do meio de hospedagem é a localização. Você quer ficar perto de onde? O que você vai fazer na cidade? Vou usar São Paulo como parâmetro pra exemplificar melhor. Trabalho no ramo hoteleiro (que chic falar assim hahaha muy adulta) desde 2007 e todo mundo pergunta antes de reservas hotel em São Paulo: É PERTO DO METRÔ? Aqui em São Paulo e na grande maioria das metrópoles, ficar hospedado perto de uma estação de metrô é sucesso. Você tem que pensar em como você vai se locomover na cidade, se é de transporte publico, se vai de táxi. Pesquisa o entorno e defina o bairro de onde você vai ficar hospedado. O motivo da viagem influência muito, se você vai vir pra São Paulo assistir um show, vai querer ficar perto do local do show (naturalmente), só que você além do show, vai passar mais dias na cidade. Então, às vezes compensa você ficar em um hotel mais próximo do centro, sendo que você vai circular mais por ali, do que ficar em um hotel do outro lado da cidade que era próximo ao local do evento. Ou seja, mais uma vez, as prioridades precisam estar bem definidas. Quando a gente viaja o nosso tempo é precioso.

- Pesquisando as opções
Bom, você já tem o destino, bairro definido e o teu orçamento, então, joga no Google sem medo de ser feliz. Um site legal pra pesquisar é o Decolar.com! Lá tem uma ferramenta boa de pesquisa pra você que não sabe por onde começar. 



Durante essa pesquisa você vai encontrar, pelo menos, umas 5 opções que você se interessou. Muitas pessoas acabam escolhendo o hotel por causa do preço, pela opção mais barata. Só que nem sempre o mais barato vai se adequar ao seu perfil e o tipo da sua viagem. Por exemplo, uma família com dois adultos e 3 crianças, não cabe em um quarto do Ibis (hotel econômico), mas vai ficar melhor acomodada em dois quartos conjugados (aqueles que tem uma porta com comunicação).
Dentro dessas cinco opções, além de pesquisar no site do hotel, é FUNDAMENTAL dar uma olhada nas redes sociais. TripAdvisor é uma mão na roda. Lá tem inúmeras resenhas dos hotéis, com fotos que os hóspedes colocam junto com as resenhas. No site da marca do hotel, nós vemos o todo o marketing, os serviços que o empreendimento oferece e no TripAdvisor nós vemos se tudo isso funciona mesmo e com fotos sem photoshop, sem nada. É realidade pura hahaha. Claro, tem umas pessoas que estão reclamando totalmente fora do contexto, tipo, foi viajar para um resort e choveu o tempo todo e achou o hotel uma droga. Tipo? Oi? Então, não leve esses comentários nonsense e não deixem que coisas do tipo interfiram muito na sua escolha. Agora, se todo mundo está reclamando do chuveiro, ou reclamando do café da manhã, da internet, ou elogiando o serviço, localização, é uma coisa pra você considerar. Outra coisa legal do TripAdvisor é que ele mostra cotações das diárias hotel que você escolheu de acordo com a sua pesquisa.



Outro lugar pra fuçar (e fechar a reserva) é a Booking.com! O site é ótimo, tem inúmeros tipos de filtros. Pesquisar por bairro, as acomodações, quantas estrelas, hotel pra lua de mel, pra crianças. Enfim, é super fácil de navegar e as informações estão bem claras. E também tem a opinião dos hóspedes quanto ao hotel, mais um fator aí pra ajudar na sua escolha.



Importante: FATOR DECISIVO.

Você ficou em dúvida entre dois hotéis, por exemplo, ou gostou muito de um hotel mas a avaliação do lugar está com uma nota baixa no TriAdvisor... mande um e-mail pro hotel, ou liga mesmo. Quantas vezes eu não atendi ligações que começava assim “Olha, to aqui na internet e tô vendo que as pessoas estão reclamando da piscina. Qual é a atual situação dessa piscina aí?”. Não viaje e não reserve se tem dúvidas. 

- Reservando o hotel. 
UHUL, VAMO FECHAR ISSO AQUI.



Se você fizer pela internet, PRESTE ATENÇÃO NAS LETRAS MIÚDAS, principalmente se for nesses portais tipo Decolar.com. ALIÁS, eu, Camila, não recomendo a Decolar pra FECHAR a sua reserva. No último hotel que eu trabalhei, toda vez que era algum hóspede que fechou a reserva através da Decolar, era uma bucha. A Decolar chama as pessoas por causa do preço, certo? E, na empolgação, a maioria não lê as normas nas das reservas, vai passando o cartão e pronto. O problema é quando eles querem ter mais informações do hotel, ou seja, já começou errado. Primeiro fechou a reserva e depois viu que não era bem isso o que queria. A grande maioria das pessoas faz isso, sério, é um tormento. Mas enfim, tava falando da Decolar. Lá existe uma grande dificuldade de falar com pessoas, pra tirar dúvida, pra cancelar uma reserva, pra alterar. O pessoal não consegue nem alterar pelo site, muito menos um atendimento digno por telefone. Então, eu aconselho a Decolar apenas pra pesquisar mesmo. Você pode até reservar e tudo mais, mas caso surja algum imprevisto, ou alguma dúvida sobre pagamento, a prestação de serviço é péssima

Euzinha recebendo reclamação da Decolar

Na hora de fechar a reserva, você precisa prestar atenção em:

a) As condições de garantia da reserva, o famoso NO SHOW. 
Se você fecha a reserva pela internet, 99,9% de chances do site exigir uma garantia no ato da reserva. Muitas vezes é uma garantia de no show, só será cobrado do seu cartão de crédito CASO você não compareça no hotel ou não cancele a sua reserva COM ANTECEDÊNCIA. Minha opinião é: GARANTA A SUA RESERVA. O voo pode atrasar, você pode se perder no caminho do hotel, pode chover ou qualquer outra condição climática, você chega na cidade e vai fazer outra coisa (consulta de médico, entrevista ou o raio que o parta haha) e acaba chegando no hotel após o horário previsto. Se você garantiu a tua reserva, seu quarto estará lhe esperando. Caso não tenha garantido a reserva, ele fica a disposição e se você não chegou no horário, o teu quarto acaba sendo utilizado por outra pessoa que chegou ao hotel sem reserva. Daí, meu amigo, se a cidade estiver lotada, você ficou sem ter onde se hospedar.

b) Tipo de tarifa. Vai acontecer de você achar várias tarifas em diferentes sites para o mesmo hotel. Às vezes é uma tarifa promocional, que pode incluir ou não café da manhã. Quando a tarifa está em conta, certeza que é exclusiva da internet e você precisa pagar no ato da reserva (neste caso, debita do teu cartão de crédito na hora). Por favor, PRESTE O MÁXIMO DE ATENÇÃO NESSAS CONDIÇÕES. Tem tarifa que é cancelável, tem tarifa que não é, às vezes é uma promoção relâmpago por R$100 de quarta feira, daí no dia seguinte não tem mais. ACONTECE. São as condições da reserva, então, fica atento a todas elas.

c) Tipo de acomodação. Existem hotéis que cobram por pessoa, existem hotéis que cobram por acomodação. Acontece também aquelas denominações de “luxo” e “luxo design” e você não entende qual é a diferença das acomodações sendo que a metragem é a mesma. Aqui, vale a pena mandar um e-mail (ou ligar) pra perguntar. Agora, experiência de uma hoteleira falando, geralmente é a decoração que muda, ou o tipo de vista. Tem hotel que cobra R$200 reais a mais se o quarto tem vista pra piscina ou pro mar, sendo que ele é igual aos outros quartos do hotel, e só muda a vista mesmo. Daí, você escolhe: quer olhar pro mar ou pro prédio? Quero um apartamento privativo em um albergue ou dividir o banheiro com o pessoal?

Escolheu o hotel, leu as condições e fechou a compra. AEW! Guarde o e-mail de confirmação da reserva, anote o número da sua reserva. Se você fechou por telefone (tem gente que term mais segurança em ligar pro hotel e falar com alguém, que, no caso, era euzinha hahaha), pegue o nome da pessoa, anote o número da reserva e peça pro atendente a confirmação por e-mail. 99% de chances dele JÁ ter ter mandado a confirmação da reserva, mas vai que... haahah. A confirmação da tua reserva é o poder, ali tá falando o que você comprou, quando, onde e tudo mais. É a sua garantia, então, seja prevenido. 
Depois de tudo isso, parece meio complicado e que você tá assinando um pacto com o demônio ao fechar uma reserva, mas é falta de costume mesmo. Todo mundo se preocupa com o voo, o hotel pega qualquer um aí e daí quando chega no lugar leva um susto. Seja com as acomodações, com a conta e as expectativas ficam frustradas. Tem gente que paga pelo luxo, tem gente que prefere uma boa localização, tem pessoas que não querem nada disso contanto que a internet do hotel seja a mais rápida possível.
Ah, já estava esquecendo, existem pousadas que pedem um pagamento antecipado de 50% de garantid, geralmente pousadinhas do interior e hotéis pequenos no litoral (pelo menos aqui no Brasil) e albergues. Esses meio de hospedagem possuem uma demanda menor, então, precisam de uma garantia para um melhor planejamento administrativo. Muita gente (mesmo) reserva e não comparece, daí essa pousada negou vários pacotes e acabou ficando no prejuízo. Por isso que rola esse adiantamento aí de 50%.
Taxa de turismo É OPCIONAL, você NÃO é obrigada a pagar aqui no Brasil. Eu nem sei se lá fora tem isso, mas aqui tem. Essa taxa de turismo é um incentivo para o turismo local. Sabe aqueles mapas, panfletos, cupons de desconto, revistinha com propaganda de restaurante e entretenimento que geralmente você acha na recepção do hotel? Então, é da taxa de turismo, entre outras coisas, que sai essa verba para esses mapas e tudo mais.
O hotel não pode cobrar pelo uso do frigobar. É um direito seu ir ao mercado e comprar seus produtos e colocar no frigobar. O hotel vai discriminar na nota o uso de energia elétrica, que, por sinal, está INCLUSO na tarifa que você está pagando? NÃO. Isso é ABUSIVO. Não pague se te cobrarem. 


É cada coisa que a gente vê por aí... Bom, eu é “só” isso. Encerro aqui meu boletim hoteleiro haahaha. Só seguir esses passos pra você achar um hotel que seja o perfil da tua viagem e é sucesso. 

23 de janeiro de 2014

Nem toda "princesa" precisa ser "salva"

Eu sou uma pessoa romântica e que acredita no Amor. Até mais do que eu gostaria. E ao longo dos anos, livros, desenhos da Disney e comédias românticas, esses meus valores ficaram deturpados. Exagerados, digamos assim. Sabe aquela música do Jota Quest “Queroum amor maior, um amor maior que eu”, essa sou eu aos 19 anos de idade.
Quase toda uma vida pensando em realmente encontrar o príncipe encantado, que apareceria e OMG, faria da minha vida mais colorida. Um raio de sol em um dia nublado, o arco-íris depois de uma tempestade. Alguém que me resgatasse e tudo ficaria lindo e mágico. Tipo isso, sabe? Nisso, 27 anos se passaram. E até agora nenhum príncipe encantado.



Outro dia estava mimizando sobre alguma coisa da minha vida amorosa, daí o Pira me olhou daquele jeito dele sagaz e disse “CAMI, VOCÊ NUNCA TEVE UM NAMORADO PORQUE VOCÊ NÃO QUIS”. PÁÁÁÁ. Direto e reto.

Euzinha enfrentando as verdades 

Eu fiquei muito tempo pensando nisso. E não é que é verdade? Eu nunca quis, de verdade. Quando aparecia a menor possibilidade, tipo, menor mesmo, eu sempre corria pro lado inverso. Me achando gordafeiamonstrohorrivelsocorrow, ou achando que não era merecedora (?), ou porque simplesmente não. Eu não queria mesmo. Lá no fundo.
De onde eu tirei aquela coisa de que eu precisava ser salva? De quem, meu Deus? Só se for de mim mesma e das coisas que fiquei sonhando acordada durante uns bons anos, das expectativas hollywoodianas e dos comerciais de televisão.  
Mas daí, ~deixa acontecer naturalmenteeeee haha. Foi bom perceber que nunca precisei de um relacionamento amoroso pra ser feliz. Olhei lá pra trás e percebi que há tempos deixei de viver pra isso, na procura de alguém que não existia. Ou melhor, que existia só na minha imaginação. A gente pode ser feliz solteira, por mais incrível que isso pareça. Não estou aqui defendendo a ideia de que ser solteiro é melhor, até porque isso é ridículo. Cada lado tem suas vantagens, e, principalmente, cada um tem que viver a sua vida e esquecer um pouco da grama verde do vizinho. Nem toda mulher precisa ser salva. Nem toda mulher precisa de um homem, ou de outra mulher, enfim, de outra pessoa, pra se sentir completa. É claro, ter alguém (imagino eu) é sempre bom, mas, não ter não é o fim do mundo. Eu não preciso ser salva de nada. O único perigo sempre foi eu mesma, achando mil coisas e me colocando mil defeitos e exagerando mais ainda as minhas imperfeições.
Tem meninas/mulheres/gatas-garotas que se ofendem, que fica mal pra caramba (mesmo!) de estar solteira, de não ter um "Mozão". Aquele pânico nas festas de família com a pergunta E OS NAMORADINHOS. Sério, se liberta disso aí. Coisas que eu não compreendia aos 17 anos, passei a entender melhor aos 23. Coisas que eu achava que seria impossível aos 24, hoje, aos 27 anos, eu faço tranquilamente e compreendo bem melhor. Eu tenho saudade de 2006, mas, estou me amando muito mais agora. E isso é maravilhoso haha.
Às vezes a gente precisa ser salva de si mesma, de se resgatar e de entender as nossas escolhas e simplesmente viver a vida e deixar rolar. Se rolar um grande amor, ou vários!, que venha. Mas se não acontecer, não aconteceu, e não é por isso que sou mais infeliz ou solitária. Solitária é uma coisa que nunca fui.

Me and my grls di-van-do